20/11/2018

Bem cotado

Bem cotado

A política de cotas raciais para vagas no ensino superior começou na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, em 2003. No ano seguinte, foi adotada também pela Universidade Nacional de Brasília. Em 2013, com a sanção da Lei de Cotas, passou a ser obrigatória em todas os institutos federais de educação. O resultado começa a aparecer agora, com o número de estudantes pretos e pardos com graduação universitária indo de 2,2% para 9,3% (entre os brancos, 22% são graduados). Consequências: mais diversidade nas universidades, e a formação de uma geração de intelectuais negros. A Folha fez uma pesquisa com alunos cotistas, e constatou que seu desempenho é próximo dos não-cotistas. E ainda assim, há quem defenda voltar ao Brasil de 40, 50 anos atrás

Quer saber mais?

A Veja discutiu os principais pontos do sistema de cotas

MemeNews é financiado pela Open Society Foundations, por meio de um projeto que pretende unir humor e mudanças sociais.