23/11/2018

Jornalismo: profissão de risco

Jornalismo: profissão de risco

De janeiro a outubro deste ano, ao menos 153 jornalistas sofreram algum tipo de agressão com motivação política, segundo levantamento da Abraji. No Paraná, um repórter do Globo foi atingido com um soco na orelha por um segurança da caravana de Lula. Em São Paulo, uma jornalista da Rádio Bandeirantes tomou uma cabeçada de apoiadores do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). Em Pernambuco, houve um caso mais noticiado: uma repórter do portal NE10 sofreu ameaças de estupro, também de eleitores de Bolsonaro, apenas por estar usando o crachá de profissioal enquanto votava. Cereja do bolo azedo: uma empresa de games lançou um jogo em que o usuário só passa de determinada fase se matar um jornalista.

Quer saber mais?
O Brasil é o 10º país no ranking da impunidade dos assassinatos de jornalistas

Quer  denunciar uma agressão?
Procure o Ministério Público Federal

MemeNews é financiado pela Open Society Foundations, por meio de um projeto que pretende unir humor e mudanças sociais.