15/01/2019

Ampla, quase irrestrita e nada gradual

Ampla, quase irrestrita e nada gradual

O presidente Jair Bolsonaro assinou hoje um decreto que faz uma abertura ampla, quase irrestrita e nada gradual da posse de armas. Sem poder derrubar a Lei do Desarmamento, de 2003, Bolsonaro fez uso do decreto para alterar alguns artigos. Antes era necessário que um delegado da Polícia Federal atestasse a efetiva necessidade do porte pela pessoa. O decreto define parâmetros de efetiva necessidade bem mais generosos. Agora a posse de armas é liberada para moradores de áreas rurais, pessoas responsáveis por estabelecimentos comerciais ou industriais, ou moradores de áreas urbanas com mais de 10 assassinatos por 100 mil habitantes.  A liberação do armamento para a população – especialmente como medida de segurança pessoal, comum no discurso de Bolsonaro – é uma admissão de derrota do poder público que, incapaz de proteger o cidadão, o entrega à própria sorte. A expectativa de especialistas é de que mais armas vendidas não resulte na diminuição da violência.

Quer saber mais?
A medida parece em descompasso com o que querem as pessoas no Brasil

Quer mergulhar de cabeça no assunto?
Um pesquisador reuniu 61 pesquisas que relacionam armas, crime e violência

MemeNews é financiado pela Open Society Foundations, por meio de um projeto que pretende unir humor e mudanças sociais.