Só vai ter árvore de bems

17/01/2019
_____

Dia do caçador

A ministra da Agricultura, Tereza  Cristina, anunciou que Valdir Colatto será o novo chefe do Serviço Florestal Brasileiro. Quando era deputado federal pelo MDB de Santa Catarina, Colatto apresentou um projeto de lei que liberava a caça de animais silvestres, mesmo dentro de unidades de conservação (a WWF-Brasil considerou  o projeto “repugnante”). Agora Colatto, que já chamou o presidente da Funai de “onguista e petista”, vai estar a frente de um órgão que fazia parte do Ministério do Meio Ambiente, mas que foi para a pasta da Agricultura graças à Medida Provisória 870. Uma das principais atribuições do Serviço Florestal Brasileiro é a gestão das reservas naturais, especialmente as florestas públicas brasileiras.

Quer saber mais?
Entenda as atribuições do SFB

Quer se manifestar?
Escreva para a Ministra da Agricultura
https://twitter.com/TerezaCrisMS
Ou para o próprio Valdir Colatto
https://www.facebook.com/deputadovaldircolatto/

Me chame pelo meu nome

Um direito básico para a inclusão de travestis e transexuais foi negado pelo governador de Santa Catarina. Carlos Moisés, do PSL, vetou um projeto de lei estadual, aprovado pela Alesc em dezembro, que dá às pessoas trans o direito à identificação pelo nome social em cadastros, formulários, prontuários, e registros escolares da administração pública estadual. O governador acatou um parecer da Procuradoria Geral do Estado, que afirmou que a matéria é de competência da União. Mas a OAB de Santa Catarina defendeu a constitucionalidade da lei, lembrando que o governo federal publicou um decreto, em 2016, permitindo que travestis e transexuais usem o nome social no serviço público. A OAB lembrou também que o STF autorizou a troca de nome no documento, mesmo sem procedimentos de redesignação de sexo.

Quer se manifestar?
Escreva para o governador
https://www.facebook.com/governadormoises/

Promessa vazia

Depois de prometer, durante a campanha, que as Delegacias da Mulher funcionariam num sistema de 24 horas, o governador de São Paulo, João Doria, vetou um projeto de lei que obrigava sabe o quê? Que as delegacias do estado de São Paulo ficassem abertas durante a noite. Doria alegou que não cabe ao Legislativo determinar mudanças administrativas. A reação foi rápida: entidades de defesa das mulheres, como a Nossas, a Casa Mãe e a Comissão de Direitos Humanos da OAB-SP lançaram a campanha Violência Não Tem Hora, lembrando que quanto mais rápido a mulher vítima de violência fizer o boletim de ocorrência, maior a chance de assegurar sua segurança. Desde ontem, a petição já teve 18 mil assinaturas.

Quer saber mais?
Os dados de violência contra mulher são alarmantes no Brasil

Quer se manifestar?
Participe da campanha Violência Não Tem Hora

MemeNews é financiado pela Open Society Foundations, por meio de um projeto que pretende unir humor e mudanças sociais.